Ebook "Aconteceu na Índia" de J. Domit.

R$ 9,00

Muitas vezes nos perguntamos qual o sentido da vida neste planeta tão lindo, abarrotado de cores e perfumes, rios e mares, florestas repletas de bichos atraentes, alguns carinhosos e outros perigosos, disputando a sua ferocidade com a ferocidade do Homem; todo esse conjunto banhado por um céu coalhado de estrelas e lua brilhante, curioso para os cientistas e apaixonante para os amantes. E neste cenário, que promove descomprometido o palco das batalhas pela sobrevivência, repete-se a grande pergunta sem resposta, expressa pelo Ser Humano com um gemido mudo: para onde foram as pessoas que tanto amei? Será que jamais as verei novamente? Será que nunca mais ouvirei suas vozes, nunca mais poderei tocá-las e abraçá-las? Terei oportunidade de corrigir os erros que julgo ter cometido com aqueles com quem me relacionei e que já se foram? Estarei condenado a viver com arrependimento e eterna saudades? Afinal, qual o sentido deste momento fugaz que é minha vida?  Em sua busca íntima, Maya usa de todos os artifícios possíveis para superar sua auto-crítica, escapar das consequências que as ciladas da sua profissão lhe atribuíram, evitar fazer a si mesma perguntas, cujas respostas se escondem por detrás de um enredo que somente o Sagrado conhece e escolhe com cuidado a quem desvendá-lo...  

Ebook "O Emissário"

de J. Domit.

R$ 9,00

CORDILHEIRA DO HIMALAIA

Lama Norbou está com a palavra:
Mais uma vez nossa fraternidade está sendo convocada a intervir, desta feita em alguns dos chamados países do primeiro mundo; refiro-me, para ser mais exato, aos situados na Europa. Há séculos uma minoria atua nos bastidores e, por muito, tempo ainda atuará. São extremamente ambiciosos e sem qualquer noção de misericórdia, o que nos faz pensar que, consciente ou inconscientemente, representam os interesses do nosso inimigo tradicional... São seres cujas atitudes só fazem por ampliar o distanciamento entre os homens, a lacuna que causa tanta infelicidade e indiferença.
- Preciso de um voluntário, alguém disposto a enfrentar o desafio das coisas mundanas e da luxúria, um monge que não tema emaranhar o seu Karma* com o Karma daqueles com os quais vai se envolver... Aquela última frase abalou a todos. Eram unânimes em acreditar que, muitas vezes, um Karma ruim poderia ser tão envolvente que chegava até a absorver a individualidade daquele que se deixava envolver, trazendo a este, como consequência, a perda da razão e o retorno à ignorância...